Patricia Sanches no Casa da Palavra

No último dia 6 de abril, recebemos a Patricia Sanches em nossa agência para uma boa conversa. Ela é jornalista e atua no mercado de comunicação há 21 anos. Com muita experiência e sabedoria, há sete anos atua no Grupo Alto Astral como responsável pela área de Branded Content e Projetos Especiais da empresa, onde lidera as equipes de conteúdos e engajamento de usuários para plataformas digitais, além de estudar as relações humanas nos tempos de conexões e tecnologia.

De forma dinâmica e descontraída, a Patricia fez uma abordagem das suas experiências e de como interage com o digital. “Sempre trabalhei com um conteúdo diferente do jornalismo tradicional e puro. Com um conteúdo voltado mais para relacionamento e entretenimento”, conta ela. Antes de iniciar a sua jornada no Grupo Alto Astral com produtos como Toda Teen, Master Chef, Mallu e João Bidu, Patricia trabalhou na NET, empresa de telecomunicações, em uma linha de relações públicas com projetos sociais de voluntariado.

Há uma década, a comunicadora auxiliou diversas agências de publicidade da capital paulistana a lidarem com o digital e também participou da transição das revistas impressas para os novos meios tecnológicos. “Foi um caminho natural, bem orgânico”, relatou.

 

EXPERIÊNCIAS PARA GARANTIR RESULTADOS

Com apresentação de cases de sucesso de marcas renomadas, a Patricia Sanches disse que a principal dúvida em suas palestras é se: o branded content vale mais ou menos que o conteúdo jornalístico? E a resposta foi clara: “Nem um, nem outro. Os dois tipos tem o mesmo valor e devem ter o mesmo cuidado para adquirir resultados”.

Na conversa, ela explicou que para alcançar benefícios em um trabalho de comunicação efetivo, deve-se aproximar o público, entender o que o cliente quer e criar soluções. Mas tudo depende da plataforma e do veículo que será divulgado, para dispor os elementos gráficos de textos e de imagens. “Impressionante o alcance orgânico quando você entrega o conteúdo alinhado com a realidade do consumidor”.

Para entender isto, ela nos deu um grande exemplo. “Nós temos um banco de vídeos com receitas para divulgar em algumas marcas. Porém adaptamos todo o cenário e utensílios de cozinha para o público que queremos atingir: as donas de casa. De nada adianta gourmetizar e usar utensílios que elas não têm em mãos. Hoje em dia o que tá pegando? Gerar experiência!”, explica.

O PAPEL TAMBÉM É NECESSÁRIO

Mesmo inseridos em um meio quase que completamente digital, não podemos abandonar a alternativa do velho e bom impresso. A Patricia adaptou os seus processos e fez uma ressignificação do papel, podendo utilizá-lo de maneiras específicas. “As boas histórias estão em todo lugar e inovação é a palavra da vez. Podemos ir além da mídia com os elementos do off e do online”.

E o segundo Casa da Palavra da Lampejos terminou com uma bela frase de nossa palestrante “Esse mergulho precisa acontecer”, tão clara como uma faísca de ideia. Estamos ansiosos pela próxima edição, e você?

Sobre o Casa da Palavra
O Casa da Palavra é um projeto de curadoria de conteúdo da Lampejos Comunicação, com o objetivo de trazer pessoas e experiências que possam agregar diversos aprendizados relacionados às mudanças que a comunicação tem passado com a revolução digital. As palestras podem ser acompanhadas pelas redes sociais e em matéria do conteúdo abordado disponível no site da agência.