Não comece sem ele: O Guia para o Trabalho Remoto da Lampejos

Material desenvolvido para a equipe apresenta conceitos e boas práticas

Em 12 de outubro de 1979 o escritor e comediante Douglas Adams publicava uma das maiores obras de ficção científica da literatura mundial: O Guia do Mochileiro das Galáxias. A obra apresentava o conceito de viajantes intergaláticos que, munidos apenas de uma toalha, tinham como função desbravar o espaço sideral.

Não é para menos que a Lampejos se inspirou na obra para desenvolver nosso Guia para o Trabalho Remoto. Há pouco mais de dois anos, os “mochileiros” da nossa equipe tem trabalhado de forma remota, munidos por ferramentas específicas que facilitam a rotina e permitem o desenvolvimento das atividades diárias de qualquer lugar da galáxia. “Ao longo do tempo, tivemos contato com clientes, profissionais e parceiros, conectados de diferentes cidades, estados e até países, algo que quebrou de vez as fronteiras para o bom desenvolvimento das atividades”, explica Fábio Fonçati, nosso diretor executivo.

O material foi criado a partir das experiências coletadas durante os últimos 2 anos e de uma pesquisa interna feita com o time para acompanhar o andamento e desenvolvimento dos trabalhos sem a necessidade da presença física dos envolvidos, num cenário no qual o escritório deixou de ser obrigatório e passou a ser opcional. “A partir disso, nosso foco de prioridade passou a ser nos resultados, independentemente do local de trabalho”, conta Fábio.

Lançado internamente na semana em que se comemora o dia da toalha, o guia traz de forma leve e bem-humorada (tal qual a obra de Douglas Adams), direcionamentos e conceitos que nossos mochileiros atuais e futuros precisam saber e praticar para que o trabalho remoto continue a fluir bem.

“A ideia é que esse material esteja em constante aprimoramento. Elencamos as principais ideias, conceitos e práticas conforme nosso momento e necessidades atuais, mas isso não nos impede de continuarmos a desenvolvê-lo conforme novas ideias e experiências aconteçam”, finaliza Fonçati.